Música ao redor do mundo: Bandas e artistas que merecem sucesso internacional

Hoje em dia, não é sempre que bandas ou artistas que não sejam dos Estados Unidos conseguem alcançar sucesso internacional; mas tem muita gente talentosa ao redor do globo que merece nossa atenção. Por isso eu separei alguns dos meus favoritos aqui. Alguns deles já alcançaram muito sucesso em seus países de origem e um pouco de sucesso no exterior. Vale a pena conferir:

Tailândia: Slot Machine

Itália: Marco Mengoni

Estônia: Cartoon

Marrocos: Ahmed Soultan

Groelândia: Chilly Friday

Portugal: Xutos & Pontapés

Malásia: Hafiz

Curiosidades sobre lugares pouco conhecidos: Darfur

Darfur? O que é isso? Trata-se de uma região do Sudão que vive em constante conflito. Esse conflito, embora não tenha tanta atenção da mídia como outros conflitos da África ou alguns conflitos do oriente médio, nem por isso deixa de ser sério e mereceria a atenção da ONU. Infelizmente, a ONU enfrenta forte oposição do governo chinês quando tenta fazer algo a respeito.

O conflito de Darfur é bastante peculiar e curioso em comparação a muitos outros conflitos ao redor do mundo, pois se trata de um conflito onde não há diferenças religiosas. É um conflito entre dois grupos islâmicos que acreditam no mesmo deus, no mesmo profeta, seguem a mesma religião e só tem uma diferença: a cor da pele.

Isso mesmo, trata-se de um conflito entre muçulmanos brancos e muçulmanos negros. Os muçulmanos negros que moram em Darfur são frequentemente atacados pelos muçulmanos brancos que moram no resto do Sudão. Escapar para o Sudão do Sul, país povoado por negros cristãos, também não é viável, por causa da diferença religiosa.

Não há consenso sobre o número de mortos no conflito; nem a ONU sabe dizer. Alguns dados dizem 500 mil, enquanto outros estudos apontam mais de 1 milhão de mortos, e também há quem aponte mais de 2 milhões. Cerca de 4 milhões de refugiados já foram embora de Darfur, e até mesmo o próprio governo do Sudão mantém milícias que tem o objetivo de exterminar muçulmanos negros, chamadas Janjawid, que recebem dinheiro proporcional ao número de negros que conseguem matar.

Na ONU, várias vezes foi discutida uma intervenção política, mas, como dito acima, a China sempre se posiciona contra; ela só teria a perder com a saída do atual governo, com o qual tem uma parceria na exploração do petróleo sudanês. Um governo novo provavelmente faria parceria com outras potências, que já teriam toda a estrutura para explorar o petróleo, pois essa estrutura foi desenvolvida pela própria China.

Enquanto isso, milhares de inocentes estão morrendo…

Darfur_IDPs_1_camp

Habitantes de Darfur que foram forçados a deixar suas casas

Agradecimentos especiais a Gilberto Alende, que fala sobre o assunto no vídeo a seguir entre 22:14 e 28:15. (África e Primavera Árabe – Mundo Geografia – ENEM)

Top 10: Países e territórios com as menores densidades demográficas

Enquanto alguns países, como Mônaco, impressionam pela quantidade de pessoas vivendo em um espaço pequeno, outros impressionam pelo pequeno número de habitantes em um espaço grande. É o caso dos países/territórios a seguir, onde grande parte do território é desabitada.

10 – Islândia (3,21 hab/km²)Iceland2008-Sudureyri

Essa ilha cujo tamanho se assemelha ao do estado de Pernambuco tem uma população desproporcionalmente pequena, equivalente ao município de Blumenau-SC. Sua baixa densidade demográfica se deve ao fato de grande parte do país ser ocupada por vulcões, gêiseres, areia e campos de lava, e portanto inabitada. O país nórdico possui uma rica história e não tem exército.

9 – Austrália (3,12 hab/km²)

Lake_Hume_on_the_Upper_Murray

A população da Austrália, embora grande, é pequena em relação ao seu vasto território. Trata-se do sexto maior país do mundo em território, mas, no ranking de população, ocupa a 52° posição. O país que tem quase o tamanho do Brasil tem uma população um pouco menor que a de Angola. A pequena densidade se deve principalmente a grande área ocupada pelo chamado “outback” australiano, uma área desértica que cobre boa parte do interior do país.

8 – Guiana Francesa (2,65 hab/km²)

Salinesmontjoly

A área desse departamento ultramarino da França é equivalente ao estado de Santa Catarina, mas sua população se aproxima a do município de Viamão-RS. Isso porque mais de 90% da superfície do departamento está coberta por uma floresta tropical densa quase inacessível, e metade da população vive na capital Caiena, que fica no norte do departamento.

7 – Namíbia (2,56 hab/km²)

Namib_Desert_Namibia(2)

O país tem tamanho comparável ao do estado do Mato Grosso, mas a população equivale a de Manaus-AM. A baixa densidade se relaciona à presença do Deserto do Namibe, que ocupa grande parte do país, e pega também pequena parte de Angola e da África do Sul. Apesar do deserto, o país não é tão quente; na verdade, é temperado.

6 – Saara Ocidental (2,25 hab/km²)

Sangar_western_sahara

O Saara Ocidental é um território disputado entre a República Saarauí e o Marrocos. A República Saarauí busca a independência do Saara Ocidental, enquanto o Marrocos busca controle sobre o território. Na prática, parte do território é governada pela República Saarauí e outra parte pelo Marrocos, mas ambos desejam controle integral da área, que se assemelha ao estado do Tocantins, enquanto a população se aproxima a do município de Joinville-SC. O território consiste principalmente em áreas desérticas, por isso a baixa densidade demográfica.

5 – Mongólia (1,92 hab/km²)

KhongorynElsCamels

Esse país asiático espremido entre a Rússia e a China tem o tamanho do estado do Amazonas, mas sua população não corresponde, equivalendo a do município de Salvador. Grande parte de sua área é coberta por estepe, (onde a plantação é difícil, portanto poucas pessoas moram) com montanhas ao norte e ao oeste e o Deserto de Gobi ao sul.

4 – Ilhas Pitcairn (1,19 hab/km²)

Bounty_bay

Com tamanho semelhante ao do município de Bandeira do Sul-MG, não é de se esperar que o arquipélago tenha uma grande população, mas a população é pequena mesmo se comparada ao tamanho: 56 habitantes. O município mineiro de área comparável possui população muito maior: 5340 habitantes. No caso do arquipélago, a baixa densidade se deve principalmente ao fato de que apenas uma das quatro ilhas é habitada; a ilha Pitcairn, que leva o nome do arquipélago. Os 56 habitantes são descendentes de marinheiros do navio Bounty que se revoltaram contra o capitão e resolveram abandonar a embarcação e permanecer na ilha.

3 – Ilhas Malvinas (0,21 hab/km²)

Necksaundersisland2

Embora a área das ilhas se aproxime da área do Distrito Federal, sua população não chega perto da população da capital do Brasil, sendo na verdade comparável com a população de Ipiranga de Goiás-GO. A baixa densidade demográfica se deve em parte ao relevo das ilhas, cheias de colinas e montanhas, e ao clima, caracterizado pelo frio, pelo vento e pela umidade.

2 – Svalbard e Jan Mayen (0,04 hab/km²)

BarentsburgFromDock

O arquipélago de Svalbard já apareceu anteriormente aqui no blog; é lá que fica a cidade mais próxima do polo norte no mundo. Esse arquipélago gélido tem área comparável ao estado da Paraíba, enquanto sua população é desproporcional e se aproxima do município de São Bernardino-SC. Longyearbyen, a cidade mais setentrional do mundo, é a única cidade do arquipélago e nela mora 79% da população do arquipélago; os outros 21% moram em povoamentos menores que não podem ser considerados cidades. Aproximadamente 60% do território é coberto por geleiras. Jan Mayen, por sua vez, é uma ilha habitada apenas por 18 pessoas que trabalham para as Forças Armadas Norueguesas ou para o Instituto Meteorológico Norueguês. Ambos territórios são noruegueses.

1 – Groelândia (0,03 hab/km²)

Greenland_eastcoast 

Esse território é o caso mais impressionante, pois há uma população equivalente a de São Francisco-MG vivendo em uma área equivalente a da Arábia Saudita. Nesse caso, a baixa densidade demográfica se deve ao manto de gelo que ocupa grande parte do país, fazendo com que a população se concentre no litoral.

Experimento social mostra preconceito que os muçulmanos sofrem

A dupla holandesa do canal “Dit is Normaal” resolveu sair às ruas com uma Bíblia disfarçada de Alcorão. Eles sublinharam alguns trechos mais radicais e leram para as pessoas que passavam pela rua, levando-as a crer que eram trechos do livro sagrado Islâmico.

(Vídeo em holandês com legenda em inglês)

“Se você rejeitar meus comandos e abominar minhas leis,você comerá a carne de seus próprios filhos e filhas”

“Eu não permito que uma mulher ensine. Você terá que cortar a mão dela. Não a perdoe.”

“Se dois homens dormirem um com o outro eles terão de ser mortos.”

As pessoas ficaram surpresas com os versos do “Alcorão”, que lhes pareceram agressivos, machistas, entre outras coisas. Quando foi revelado que os versos eram na verdade da Bíblia, a surpresa foi grande.

Incríveis mapas antigos no Tumblr

tumblr_nuedj48ago1tfx8yfo1_1280Estou passando aqui para divulgar uma página do Tumblr muito interessante para quem tem interesse no assunto. Trata-se de uma página sobre mapas antigos.

Chama-se Beautiful Maps, e os mapas contidos na página são muito impressionantes. Apesar dos erros cometidos pelos cartógrafos de antigamente, os mapas devem ser valorizados, pois graças a eles temos os mapas precisos e corretos dos dias de hoje.

tumblr_nu922t5b3A1tfx8yfo1_r1_1280

Curiosidades sobre lugares pouco conhecidos: Ilhas Faroé

  • Assim como a Groelândia pertencem à Dinamarca e possuem grande autonomia de governo, sendo praticamente um país.
  • Já pertenceram à Noruega, entre 1035 e 1814, assim como a Groelândia.
  • Possuem 48700 habitantes, divididos em 30 municípios.
  • Há um notável movimento que busca independência completa e quer que as Ilhas Faroé tornem-se um país. Os faroeses estão divididos quase que igualmente entre os que querem independência e os que querem continuar sendo parte do Reino da Dinamarca.
  • Mesmo sendo dependentes, possuem suas próprias seleções de futebol e handebol.
  • São 18 ilhas que juntas tem aproximadamente 1399 quilômetros.
  • A população descende majoritariamente de escandinavos e escoceses.
  • Análises recentes de DNA revelaram que 87% dos cromossomos Y são escandinavos e 84% do DNA mitocondrial é escocês. Ou seja, 87% da descendência masculina é escescandinava e 84% da descendência feminina é escocesa.
  • A taxa de fertilidade das Ilhas Faroé é atualmente uma das mais altas da Europa: 2,49 filhos por mulher.
  • Há habitantes de 77 diferentes nacionalidades nas ilhas. De acordo com um censo realizado há 515 dinamarqueses, 433 europeus de outros países, 147 asiáticos, 65 africanos, 55 panamericanos e 23 russos.
  • De acordo com outro senso, de 2011, há 33018 cristãos, 23 muçulmanos, sete hindus, 66 budistas, 12 judeus, 13 baha’ís, três siques, 149 outros, 85 com mais de uma crença e 1397 sem religião.
  • Possui um índice de desemprego de 3,2%; um dos menores da europa.
  • 80% da população das ilhas é conectada por túneis que passam através das montanhas e entre as ilhas, além de pontes e causeways que ligam as três maiores ilhas e outras três ilhas ao nordeste.

Esportes:

  • Assim como a Groelândia, as Ilhas Faroé competem nos Jogos das Ilhas, os quais sediaram em 1989 e venceram em 2009.
  • Possuem um campeonato nacional de futebol, disputado por dez clubes.
  • Possuem uma seleção reconhecida pela FIFA, que compete nas eliminatórias da Copa do Mundo, mas nunca se classificou. A seleção já venceu a Grécia duas vezes, uma por 1 a 0, outra por 2 a 1; duas grandes zebras.
  • São membras da FINA (Federação Internacional de Natação). O nadador faroês Pal Joensen tem uma medalha de bronze e quatro de prata.
  • Competem nos Jogos Paraolímpicos. Já ganharam uma medalha de ouro, sete de prata e cinco de bronze.
  • Nos jogos olímpicos, dois atletas faroeses já competiram, porém competiram pela Dinamarca; pois o Comitê Olímpico internacional não permite que as Ilhas Faroé compitam como equipe. São eles Pal Joensen (natação) e Katrin Olsem (remo).

Música:

  • Dica musical: Eivør (folk rock), Høgni Reistrup (música eletrônica), Høgni Lisberg (indie rock), HEIÐRIK (electro-pop), Guðrið Hansdóttir (diversos estilos), Brandur Enni (pop), Týr (heavy metal), Gestir (rock), Hamferð (doom metal), The Ghost (electro-pop), Boys in a Band (rock alternativo) e SIC (hardcore metal).

Imagens:

800px-Map_of_the_Faroe_Islands_en.svg

Mapa das Ilhas Faroé

1024px-Faroe_Islands,_Eysturoy,_Skipanes_and_Undir_Gøtueiði

Skipanes, na ilha de Eysturoy. Nota-se a diferença do tempo a distância

1024px-Faroe_Islands,_Borðoy,_Klaksvík_(3)

Klaksvík, na ilha de Borðoy. A segunda maior cidade das Ilhas Faroé

1024px-Faroe_Islands,_Eysturoy,_road_from_Skipanes_to_Syđrugøta

Estrada de Skipanes a Syðrugøta, na ilha de Eysturoy. A rede de estradas nas Ilhas Faroé é altamente desenvolvida.

New_smyril_11.56

Balsa MS Smyril chega às Ilhas Faroé; mais especificamente ao porto de Krambatangi, na ilha de Suðuroy, em 2005

 

 

Continuar lendo

Curiosidades sobre lugares pouco conhecidos: Groelândia

Começa aqui a série de curiosidades sobre lugares pouco cohecidos. Embora muitos conheçam a Groelândia, poucos sabem alguma coisa sobre esse lugar interessante e único. Segue a lista de fatos curiosos sobre a Groelândia:

  • Embora seja um território pertencente à Dinamarca, possui grande autonomia de governo, sendo praticamente um país.
  • Possui apenas 56 mil habitantes. Se fosse um país, seria o oitavo menor do mundo em população.
  • Possui 0,026 habitantes por km². Se fosse um país, teria a menor densidade populacional do mundo.
  • É a maior ilha do mundo.
  • Possui o único manto de gelo do mundo que não está na Antártida. O dito manto ocupa mais de 3/4 da ilha.
  • Já é habitada há 4500 anos. Os primeiros habitantes migraram do que hoje é o Canadá.
  • O maior município do mundo em termos de área fica na Groelândia. É o município de Qaasuitsup, que é maior que a França.
  • A maioria da população é luterana.
  • O índice de alfabetização é de 100%.
  • Se fosse um país, teria o maior índice de suicídio do mundo. De acordo com dados do governo, um em cada cinco groelandeses já tentaram se suicidar pelo menos uma vez durante suas vidas.
  • Outros problemas sociais são o alto índice de desemprego, alcoolismo e HIV.

Esportes:

  • Futebol, atletismo, handebol e esqui são esportes populares na Groelândia. A equipe masculina groelandesa de handebol já foi considerada uma das 20 melhores do mundo, em 2001.
  • O futebol é o esporte nacional, mas a Associação Groelandesa de Futebol não é membro da FIFA devido a discordâncias com o presidente da FIFA Joseph Blatter. No entanto, é membro de outra federação de futebol, a N.F.-Board.
  • A associação esportiva mais antiga da Groelândia é a Federação Groelandesa de Esqui, fundada em 1969. A federação não é membro da Federação Internacional de Esqui (FIS), mas esquiadores groelandeses já participaram de competições internacionais representando a Dinamarca.
  • A Groelândia compete nos Jogos das Ilhas, bem como nos Jogos de Inverno do Ártico.
  • A Groelândia tem excelentes condições para a prática de esqui, pesca, Snowboard, escalada no gelo e escalada em rocha; embora o alpinismo e o passeio sejam mais populares. Embora o ambiente não seja ideal para a prática do golfe, há campos de golfe na ilha.

    Música:

  • Dica musical: Sume (rock clássico), Chilly Friday (rock), Siissisoq (rock), Nuuk Posse (hip hop) e Rasmus Lyberth (música tradicional groelandesa)

    Imagens:

Cidade de Tasiilaq, no município de Sermersooq (na Groelândia a definição de município é diferente. Os municípios são como estados, formados por mais de uma cidade)

Cidade de Tasiilaq, no município de Sermersooq (na Groelândia a definição de município é diferente. Os municípios são como estados, formados por mais de uma cidade).

Uma placa em Nuuk, capital da Groelândia. Está escrito

Uma placa em Nuuk, capital da Groelândia. Está escrito “estacionamento proibido para todos os veículos” em dinamarquês e groelandês, os dois idiomas mais falados na Groelândia.

A maioria das cidades Groelandesas tem sua própria igreja. Acima, a igreja da cidade de Nanortalik

A maioria das cidades Groelandesas tem sua própria igreja. Acima, a igreja da cidade de Nanortalik.

Continuar lendo

Longyearbyen, a cidade mais próxima do pólo norte

Centro da cidade, durante o inverno

Centro da cidade, durante o inverno

Longyearbyen é a cidade mais setentrional do mundo; ou seja, a mais próxima do polo norte. Ela fica num arquipélago chamado Svalbard, que por sua vez é um território pertencente a Noruega. O arquipélago não é tão pequeno assim, mas as vezes passa despercebido da nossa visão nos mapas.

Svalbard

É a maior povoação do arquipélago, e a única cidade propriamente dita, além de ser o centro administrativo. Outras povoações incluem a comunidade garimpeira sustentada pelo governo russo, chamada Barentsburg; a estação de pesquisa chamada Ny-Ålesund e o posto avançado garimpeiro chamado Sveagruva. De acordo com o censo de 2008, a pequena cidade tinha 2040 habitantes. É em Longyearbyen que mora o Governador de Svalbard.

Conhecida como Longyear City até 1926, a cidade foi estabelecida por e batizada em homenagem a John Munro Longyear, na época dono da Artic Coal Company (atual Store Norske Spitsbergen Kulkompani), que começou a minerar carvão no arquipélago em 1906. A cidade foi quase que completamente destruída pela marinha alemã em 8 de agosto de 1943 , mas foi reconstruída após a segunda guerra mundial. A pequena cidade tem uma universidade, um banco de sementes, uma estação de satélite, um aeroporto e uma igreja.

Turistas na rua principal no verão. Também pode-se observar o shoppinng e a prefeitura da cidade

Turistas na rua principal no verão. Também pode-se observar o shopping e a prefeitura da cidade

A maioria dos habitantes são noruegueses. Aproximadamente 300 pessoas (16%) tem outra nacionalidade, sendo tailandesa, sueca, russa e ucraniana as mais representativas. Devido a dominância da indústria garimpeira, a distribuição de gênero é bastante desigual, sendo 60% dos adultos do sexo masculino. A proporção de habitantes que têm entre 25 e 44 anos está acima da média, mas quase não há habitantes acima dos 66 anos. A proporção de crianças está na média nacional norueguesa, mas a proporção de adolescentes está significativamente abaixo.

70% das casas são habitadas por uma só pessoa, enquanto na Noruega continental o número é muito menor: 41%. Isso provavelmente ocorre porque há muitos noruegueses que trabalham em Longyearbyen enquanto suas famílias ficam na Noruega continental.

Longer

Organizações presentes na cidade incluem o Diretório Norueguês de Mineração, o Instituto Polar Norueguês, a Administração Norueguesa de Impostos e a Igreja da Noruega. A cidade também conta com um cinema, uma biblioteca, uma galeria, um clube esportivo (Svalbard Turn), um centro esportivo, um jornal semanal publicado nas sextas-feiras, um festival de blues anual e uma torcida organizada do Liverpool da Inglaterra, que conta com 20 membros.

Longyeardalen

Nauru: O país mais gordo do mundo

Nauru, uma pequena ilha (21 km²) com menos de 15 mil habitantes, tem o maior IMC (índice de massa corporal) médio do mundo, de 33,9 entre os homens e 35 entre as mulheres. Os Estados Unidos, que ocupam o segundo lugar no ranking masculino, estão bem atrás, com um IMC médio de 28,5. O mesmo ocorre com o Egito, segundo colocado no ranking feminino, com um IMC médio de 30,1.

Trata-se de um país bastante curioso, circundado por uma estrada de 41 km e possui apenas dois taxis que atendem a diminuta população. O aeroporto só recebe voos dois dias por semana e uma nova edição do jornal local é lançada apenas a cada duas semanas.

Nas Olimpíadas, Nauru participou apenas cinco vezes. O país é principalmente conhecido pela sua tradição no halterofilismo e todos os sete atletas que competiram nas Olimpíadas foram halterofilistas. Um desses sete, mais especificamente o primeiro, é hoje o presidente do país.

A falta de popularidade dos esportes no país somada aos hábitos alimentares (atualmente o prato mais popular no país é frango frito com Coca-cola, devido a influências americanas) e as pequenas distâncias da ilha contribuem para que Nauru seja o país “mais gordo” do mundo.

O país insular, imagem de satélite

O país insular, imagem de satélite

Continuar lendo

Tristão da Cunha: o arquipélago habitado mais remoto do mundo

O arquipélago de Tristão da Cunha é o mais remoto do mundo dentre os habitados. Está a 2000 quilômetros do ponto habitado em terra firme mais próximo, a ilha de Santa Helena. A distância de um ponto continental é maior ainda: 2400 quilômetros até a África do Sul. O arquipélago é formado pela ilha principal, que também se chama Tristão da Cunha, juntamente com as menores ilhas Nightingale e Gough, além da Ilha Inacessível.

O arquipélago não é um país independente, pois pertence ao Reino Unido. A ilha principal tem uma população de 259 habitantes, enquanto as outras são desabitadas.

A ilha principal

A ilha principal

O arquipélago tem esse nome em homenagem ao seu descobridor, o explorador português Tristão da Cunha. O arquipélago era desabitado até 1810, quando o americano Jonathan Lambert chegou com dois amigos e declarou as ilhas como sua propriedade, dando-lhes o nome de “Ilhas do Refresco”. Os ocupantes morreram mais tarde (exceto um) e o território foi incorporado pelo Reino Unido. Posteriormente as ilhas foram ocupadas por fuzileiros navais britânicos e é a partir daí que a verdadeira população civil começou a se formar.

Hoje em dia todas as famílias trabalham com agricultura, e algumas também trabalham com pesca. Não há propriedade privada, pois toda a terra é comunal. Atualmente não é permitido a forasteiros comprar terras ou se mudar para Tristão da Cunha. Todos os habitantes trabalham no setor primário, inclusive as crianças; enquanto os adultos adicionalmente tem trabalhos assalariados, trabalhando para o governo ou em serviço doméstico. Muitos homens estão envolvidos na indústria pesqueira, indo para o mar em tempo bom.

A localização remota do arquipélago faz com que seja difícil manter contato com o resto do mundo. Como não há aeroportos, a ilha só pode ser alcançada pelo mar. Barcos pesqueiros da África do Sul atendem o arquipélago oito ou nove meses por ano. Apesar do isolamento, os habitantes tem acesso a internet e telefone.

Moradias na ilha principal

Moradias na ilha principal

Todos os habitantes são cristãos, sendo alguns anglicanos e outros católicos. Acredita-se que a população atual descende de 15 ancestrais, oito homens e sete mulheres; e é por isso que os habitantes partilham de apenas oito sobrenomes: Glass, Green, Hagan, Lavarello, Patterson, Repetto, Rogers e Swain.

Há 80 famílias na ilha. A educação não é das melhores, pois a ilha principal só oferece ensino até os 16 anos, e quem deseja um ensino superior precisa se deslocar até o Reino Unido numa longa viagem. Mas a infraestrutura da escola da ilha supera a de muitas escolas públicas brasileiras; tendo uma cozinha, um palco e uma sala de artes e ciências Continuar lendo